Sustentabilidade

Como garantir a criação de riqueza a partir dos recursos endógenos, de forma a assegurar a sustentabilidade ambiental, económica e social dos Açores para as futuras gerações, fazendo escolhas económicas inteligentes, baseadas no conhecimento científico, tirando partido do poder transformador da ciência e da inovação?

Desde a década de 70, do século passado, que as questões ambientais e de sustentabilidade têm estado na ordem do dia. Agora, mais do que nunca, em virtude do debate em torno dos efeitos das alterações climáticas, quer as comunidades locais quer a comunidade internacional, têm debatido e procurado soluções eficientes para o nosso planeta.

De forma a garantir a sobrevivência dos recursos naturais do planeta, permitindo, simultaneamente, aos seres humanos e às sociedades soluções ecológicas de desenvolvimento, a sustentabilidade visa alcançar a ligação entre o bem-estar da atual e das futuras gerações. 

Esta preocupação advém da consciencialização de que a vida na Terra necessita dos recursos naturais para se manter em equilíbrio, sendo por isso, necessária a colaboração de todos, Governos, empresas e cidadãos.

Discutir a sustentabilidade é cada vez mais importante, porque, a cada dia que passa, os problemas ambientais estão a afetar a qualidade de vida do homem.

E nós, como poderemos assegurar a sustentabilidade ambiental, económica e social dos Açores para as gerações futuras, tendo sempre presente a importância de procurar soluções equilibradas em áreas como o ambiente, a economia, a agricultura, as pescas, a energia, a ciência e inovação?

2 Contributos

  1. Avatar
    ricardofonsecacorfinance@gmail.com
    Janeiro 19, 2020

    O futuro imediato dos Açores em sustentabilidade passa pela reconversão da EDA para gás natural em substituição do fuelóleo como efetuado na ilha da Madeira em paralelo com a introdução no sistema eletroprodutor do hidrogénio via eletrólise nas fases de excesso de produção de energia renovável e no concreto a eólica e geotermia. Deste modo os carros eletricos a jusante terão mais energia renovável como base de consumo e não a atual com a quota de fuelóleo e gasóleo existente nas centrais termoelétricas.

    Em energia este é o testemunho que as novas gerações dirão um dia obrigado.

  2. Avatar
    RicardoAfonso
    Novembro 16, 2019

    Acredito que este meu comentário se enquadre neste tema. O referencial da Graciosa, como sendo uma ilha 100% energia limpa, pode e deve ser meta pelo menos para todas as ilhas pequenas. Assim e de uma forma bastante realista pois existe uma base de estudo na Graciosa, já se pode avaliar se o fornecimento de energia electrica desta forma é suficientemente estavél e sem interrupcoes (por um lado), e viavel do ponto vista economico do investimento (por outro), ou seja, se o retorno do investimento é alcancado, quando, e sob que circunstancias, sem esquecer que permite independencia energética das energias fosseis.

    Essas mesmas energias fosseis, implicam transporte, armanezamento, distribuição… portanto etapas essas que deixam de ser necessárias, ou pelo menos reduzidas ( p.ex. fuel para aeronaves, combustivel para centrais emergencias, ou algum outro tipo de equipamentos continuara sempre a ser necessário).

    Criando maior independencia das energias fosseis, região cria condicoes para ter alguma independencia energética e numa calamidade como p.ex. Lorenzo nas Flores, a questão do abastecimento do combustivel teria um menor impacto, podendo prioritizar-se outras necessidades.

    A concretizar-se algumas previsoes de alguns cientistas, vão passar a ser mais frequentes furacoes, portanto Açores, ou mehor, os Açoreanos têm que se preparar.

    Defendo que deve ser iniciado processo pelas ilhas pequenas, analisar o retorno desses investimento, atraves de analise entre o que se investe e o que se poupa em termos logisticos, infrastruturas e acima de tudo da neutralidade carbonica que será em breve o novo imposto para quem não cumpra metas.

    Não estou ainda convencido da verdadeira fiabilidade e durailidade das viaturas electricas, mas se ainda adicionarnos a tudo isto a poupança das emissoes das viaturas, viaturas essas alimentadas pelas energias limpas, os Açores têm todas as condicoes para virem a ser um exemplo Mundial nesta (e noutras) áreas.

Deixe uma resposta

Scroll to top